O Primeiro-Ministro e a teoria do Jogo.

No passado fim de semana (sábado e domingo), o Primeiro-Ministro respondeu na TSF a questões sobre vários aspectos da vida económica. Foi notório e repetitivo ao longo da entrevista que para o Primeiro-Ministro, a Bolsa é um local de jogo e que investir em activos financeiros (acções, futuros, etc.) é de facto algo muito trivial, é apenas “jogar na Bolsa”.

Independentemente da falta de formação financeira do mais alto responsável pelo Governo, penso que este é um tipo de discurso que se revela totalmente desadequado à actual conjuntura. Num momento em que os mercados estão numa fase de turbulência, considerar a Bolsa como um casino é algo que castiga ainda mais as expectativas e confiança dos investidores, agravando de forma considerável a desvalorização das empresas.

Perante isto, é urgente uma reformulação do discurso que permita abordar estas questões com o respeito e a seriedade que merecem. Pena que a equipa de assessoria do Primeiro-Ministro não esteja atenta a estes assuntos e não tenha já tomado medidas para corrigir estes aspectos, pois esta não é a primeira vez que isto acontece!

Só mais uma nota. A Bolsa só é um jogo para quem não sabe investir. Assim, se há alguns que jogam às Bolsas, há outros que jogam aos governos, outros que jogam aos TGV’s, aos aeroportos, ao deficits, etc. Cada um joga á sua maneira!

Tenho dito!

Mário Pedro Ferreira

Imagem Retirada de pinderico.blogspot.com
Todas as imagens são detidas pelos seus proprietários.

partilhar

Deixar uma resposta