Michael O’Leary CEO da Ryanair – Uma visão sobre a Aviação

O Negócios publicou hoje um texto sobre este CEO e algumas das ideias que pôs em prática e as que tenciona colocar num futuro próximo.

Uma visão com a qual podemos não concordar mas que tem trazido bastantes lucros à empresa.

Um artigo a ler com bastante atenção do qual deixo aqui uns excertos:

Em Julho de 2002, passageiros estavam a embarcar num avião da Ryanair, em Londres, com destino a Dublin, quando o piloto anunciou que o pessoal das bagagens estava com falta de pessoal. Previa-se assim um atraso iminente, a não ser que os passageiros se voluntariassem para carregar as malas, anunciou o comandante. Pouco depois, meia dúzia de passageiros desceu dos seus (apertados) lugares e foram carregar as malas para o porão do avião, refere a Bloomberg.

A ideia, entretanto já sofreu um “upgrade”. O’Leary chegou á conclusão que lugares em pé não poupam o espaço que pretende pelo que teve uma ideia melhor: criar uma cabine na traseira do avião, colocada onde antes estavam as 10 últimas filas, rodeada de corrimões. Muito semelhante a uma carruagem de metro, mas sem os bancos.

Nem os casos de turbulência afastam a ideia da cabeça de O’Leary. “Sim, alguém se pode magoar [em caso de turbulência]”, admite. “Mas faremos aquilo que sempre fazemos: ‘Senhoras e senhores’ — BING BONG — ‘estamos a lidar com alguma turbulência. Por favor agarrem-se bem aos corrimões’”, esclarece O’Leary.

Link para o artigo completo.

partilhar

Deixar uma resposta