Deco Proteste – Vale a Pena Subscrever?

Quantas vezes já não se interrogou se valerá a pena ser sócio da Deco Proteste. No Maisvalias somos sócios e já utilizamos os serviços um par de vezes, quando tivemos problemas com prestadores de serviços. Digamos que olhamos para esta subscrição como um seguro que podemos utilizar quando vemos empresas a olhar para o lado na hora de cumprirem com a sua obrigação.

Quando fizemos a nossa subscrição não havia as modalidades existentes hoje em dia, mas nos dias que correm existem 2 opções bem mais vantajosas para quem subscreve o serviço (siga as ligações disponíveis no início e final do artigo para as receber), as quais deixamos a seguir, bem como os preços de subscrição:

PREÇO DA SUBSCRIÇÃO?

1) OPÇÃO 1

O preço normal de subscrição após o período gratuito de 2 meses é de € 9,00 por mês e dá-lhe o direito a:
• Receber mensalmente a revista PROTESTE (11 números por ano, salvo Agosto);
• Receber a DINHEIRO & DIREITOS de dois em dois meses (6 números por ano);
• Ter acesso aos atuais e futuros protocolos negociados pela DECO PROTESTE;
• Receber o Guia Fiscal uma vez por ano;
• Receber o cartão de associado com os contactos telefónicos;
• Receber mensalmente a newsletter eletrónica (apenas para quem facultar endereço de e-mail);
• Ter acesso ilimitado a todos os conteúdos do portal da DECO PROTESTE;
• Ter acesso gratuito por telefone ao nosso apoio sobre consumo, direitos, crédito e fiscalidade;
• Receber mensalmente um guia prático de oferta;
• E finalmente 2 ofertas de boas vindas: um conjunto multimédia e um auscultadores estéreo, que receberá em correio separado.

2) OPÇÃO 2

O preço normal de subscrição após o período gratuito de 2 meses é de € 11,95 por mês e dá-lhe o
direito a:
• Ter acesso a toda a oferta da opção 1;
• Receber a TESTE SAÚDE de dois em dois meses (6 números por ano).
Para qualquer questão relativa aos nossos serviços, temos ao seu dispor o Serviço de Informações da DECO PROTESTE, pelo telefone 808 200 146 (custo de uma chamada local) ou pelo 218 410 801 uma vez que este tipo de números não é acessível a partir de telemóveis. Horário de atendimento: das 9h às 13h e das 14h às 18h nos dias úteis.

Achamos portanto que não lhe custa tentar testar um serviço que achamos de valor. Receba 2 prendas sem obrigação de compra : 1 camara de video compacta + 1 lanterna de bolso a energia solar.
Assim sendo caso queira aceder a estas ofertas basta seguir esta esta ligação: Deco Proteste

Como não podia deixar de ser, e seguindo as pisadas da Deco, aqui dizemos que recebemos algum suporte monetário por cada subscrição que seja feita, assim sendo está também a suportar o Maisvalias.

partilhar

0 comments on “Deco Proteste – Vale a Pena Subscrever?”

  1. Mónica da Silva Alves Responder

    Exmos. Srs.:

    Venho por este meio solicitar a vossa ajuda. O meu pai tem um Financiamento à construção com uma entidade bancária, como empresário em nome individual sob a forma de hipoteca de duas moradias para construídas, com finalidade de venda. O empréstimo foi feito através de contrato com escritura pública, com uma validade de 4 anos e um mês, que finalizou o ano passado, as 23 de Novembro, onde o spread passou de 3,75% para 6%, com a prorrogação. O mês final do contrato dos quatro anos e um mês foi pago a 6% e com o agravamento do imposto de selo de 4/1000 para 5/1000. O empréstimo é trimestral e finalizava o trimestre em outubro e nós ainda não sabíamos o novo valor no início do mês de Novembro e fomos pagar esse mês com os novos valores. Isso pode acontecer? Embora o contrato diga “…spread actualizável pelo banco”, não concordo com o que foi feito. O banco através da condição referida anteriormente pode aumentar o spread sem ter nenhum limite? Este empréstimo só tem um seguro sob os imóveis e não existe nenhum seguro em caso de morte isto pode acontecer? O meu pai neste momento está reformado devido a um enfarte e consequente cirurgia com um by-passe no coração,ele conseguir obter um atestado de incapacidade pode ajudar na prorrogação, no spread? O meu pai amortizou metade do capital do empréstimo a 9 de Janeiro de 2012 através da venda de uma das moradias. Como podemos fazer com que não nos aumentem o valor do spread para um valor exorbitante? Gostava de saber se não existem D.L. que nos proteja? Se existe alguma entidade a quem possa recorrer por forma a regular o que o banco está nos a fazer? Preciso muito de ajuda.

    Se existir alguma forma digam-nos.

    sem mais assunto, com a mais elevada consideração.

    Obrigada

    Mónica Alves

Deixar uma resposta