20 Dicas para Poupar Mais (que Funcionam) – Parte 2

Poupar – Parte 2

Na continuação do primeiro artigo (“20 Dicas para Poupar Mais (que Funcionam) – Parte 1“), o Mais Valias prossegue agora com mais 10 dicas – exequíveis – para poder reduzir as suas despesas no final do mês. A seguir, ficam as restantes 10 dicas para poupar mais e melhor.

Utilize as grandes superfícies (especialmente os supermercados) com cuidado.

As grandes superfícies podem ser lugares óptimos para encontrar pechinchas e até para poupar algum dinheiro, mas também podem encorajar-nos a gastar mais. A melhor estratégia, para garantir que não trazemos algo desnecessário e supérfluo, é criar uma lista e comprar apenas as coisas que vai consumir. Não faz sentido conseguir uma pechincha em algo que não vai usar/consumir.

Seja franco com os seus amigos gastadores.

Nem sempre é fácil acompanhar os amigos que têm hábitos financeiros ou uma capacidade financeira diferente da nossa. Uma melhor será procurar outros amigos, com orçamentos semelhantes aos nossos. No entanto, se for honesto sobre os seus hábitos financeiros e sobre o seu desejo em poupar, os verdadeiros amigos não se sentirão incomodados em escolher um restaurante mais acessível, por exemplo.

Considere formas gratuitas de entretenimento.

O aluguer de filmes, a subscrição da televisão por cabo, bilhetes para concertos, livros, etc. – tudo somado e estamos perante uma despesa substancial. Utilize a biblioteca para saciar os seus hábitos de leitura, por exemplo, e esteja atento à programação cultural da sua cidade.

Considere as suas alternativas ao ginásio.

Considerando a sua saúde, a sua inscrição no ginásio apenas será benéfica se for assíduo. Mas existem outras opções: faça exercício em casa, ao ar livre e em espaços verdes, por exemplo. Se preferir exercício acompanhado, considere inscrever-se em aulas isoladas em vez de ter uma inscrição mensal ou anual.

Utilize os cartões de crédito de forma inteligente.

Os conselheiros financeiros são unânimes: as contas com cartões de crédito têm de ser pagas todos os meses para evitar juros e taxas administrativas. Para aqueles que já têm dívidas, procure movimentar a dívida para cartões com taxas de juro mais baixas. O ideal será reduzir as compras por impulso e a melhor forma de o atingir é realizar todos os pagamentos com dinheiro.

Converta as suas despesas em custos anuais.

Quando estiver a rever as suas despesas, uma boa dica é convertê-las numa quantia anual, pois terá mais facilidade em colocar as coisas em perspectiva. Por exemplo, se todos os dias gasta 10€ em almoços e café, terá uma despesa anual de 2500€.

Obrigue-se a poupar.

Uma forma de poupar dinheiro é enganar-se a si próprio. Transfira ou programe transferências automáticas da conta à ordem para contas-poupança. Com menos dinheiro disponível à ordem, verá que terá mais cuidado com as suas despesas.

Espere 48 horas antes de realizar uma compra importante.

Espere, pelo menos, 48 horas antes de comprar algo com um valor significativo – digamos uma compra superior a 50€. Depois de ter passado o período de espera, pode chegar à conclusão que o objecto desejado não justifica a despesa.

Opte por genéricos e marcas brancas.

Os produtos de marca branca são muitas vezes feitos pelos mesmos fabricantes dos produtos de marca. Se toma medicamentos de forma regular, discuta com o seu médico a possibilidade de passar para medicamentos genéricos.

Compre usado.

Carros, livros, mobília e até roupa: tudo pode ser comprado por uma fracção do preço original. Os carros novos, muitas vezes, não justificam a despesa extra e um veículo semi-novo pode representar uma poupança de alguns milhares de euros, sem custos de manutenção associados.

Esperamos que considere aplicar estas dicas de poupança no seu dia-a-dia e que consiga obter resultados práticos no final do mês e, acima de tudo, poupar.

partilhar

Deixar uma resposta