Conselho de Ministros aprova diploma que impede subidas desmesuradas na eletricidade

Evitar aumento repentino da eletricidade

O Governo garantiu a aprovação, em Conselho de Ministros de 10 de Outubro, de um conjunto de disposições em diploma para “impedir um aumento repentino e acentuado dos custos da eletricidade”, assegura o Executivo em comunicado.

Objetivo: reduzir a zero a dívida tarifária da eletricidade

Este diploma agora aprovado vem no seguimento da estratégia do Governo que visa reduzir a zero, até 2020, a dívida tarifária do sector da eletricidade. Estima-se que esta dívida tarifária da eletricidade em Portugal ronde os 3 mil milhões de euros, esperando-se, ainda, aumentos nos próximos anos, até atingir o objetivo zero em 2020.

Aumentos de 1,5% nos preços da eletricidade

O Executivo sublinhou no seu comunicado que ao aprovar este diploma o objetivo mantém-se, mas desta forma pretende-se não colocar em “sérias dificuldades as famílias e as empresas nacionais”, estimando que essa meta possa ser alcançada através de aumentos nos preços da eletricidade a rondar os 1,5%. Fazendo as contas à inflação, os portugueses poderão esperar aumentos nas tarifas da eletricidade entre os 4% e os 5% por ano.

partilhar

Deixar uma resposta