Fundos Fundos e Mais Fundos

A nova medida anunciada sobre criação de dois fundos para pagamento de compensações salariais, parece-me no mínimo complicada. Face ao passado recente é no mínimo dúbia também.

Não seria bastante mais simples criar uma figura bancária em que todas em empresas teriam que depositar uma percentagem do vencimento de cada trabalhador, ou da parte que serve para cálculo das indeminizações. Essa figura poderia ser estanque, apenas lhe poderia ser retirado dinheiro com documentação que a fundamentasse o pagamento ao trabalhador.

Ao ser feita a criação desta figura, não teriamos mais contratações para gestão de fundos, estruturas complicadas, ficava bastante limpo e simples.

Fundo de Garantia

O dinheiro descontado para o fundo deveria entrar como custo, não sendo apenas colocado depois de impostos. Este dinheiro estaria sempre sujeito a uma remuneração fixa definida pelo governo.

Com os exemplos passados relativos aos fundos de pensões, PT e CGA, ficamos a saber que o estado, quando necessário se apropria do que lhe convém quando lhe convém. Logo cada empresa deveria descontar para o seu próprio fundo e daí seriam pagas as compensações aos seus funcionários.

O estado deveria simplificar e na realidade já chega de criar embrulhadas para resolver coisas simples.

partilhar

Deixar uma resposta