Governo quer alterar regras para fixar taxas máximas dos cartões de crédito

Proposta de alteração deve estar concluída em fevereiro

Num encontro, realizado hoje, em Lisboa sobre União Bancária, promovido pela DECO, António Almeida Henriques, secretário de Estado adjunto da Economia reconheceu a a necessidade de alterar os níveis excessivos das regras de cálculo das taxas máximas dos cartões de crédito.

A proposta de alteração está a ser elaborada, em conjunto, pelo Banco de Portugal e pela Direção-geral do Consumidor e deve estar concluída em fevereiro, segundo Almeida Henriques.

Sublinhe-se que no final de 2012, as taxas máximas do crédito ao consumo chegaram aos 37,4% e, a manter-se a tendência de subida, Almeida Henriques disse acreditar que poderiam chegar aos 40% no final de 2013.

“De forma transitória, o Banco de Portugal, no exercício do seu poder de regulação, atenuou já esta tendência de subida das taxas de crédito ‘revolving’ [crédito renovado], procurando limitar as taxas máximas aplicáveis”, indicou o secretário de Estado adjunto da Economia.

transferir (2)

partilhar

Deixar uma resposta