Cortes nos apoios sociais podem ser permanentes

Cortes efetuados, este ano, no subsídio de desemprego e nas baixas por doença superiores a 30 dias podem ser medidas intemporais

O corte de 6% sobre o subsídio de desemprego e de 5% nas baixas por doença que o Governo introduziu este ano pode vir a tornar-se permanente. A medida presente no Orçamento de Estado para 2013 que inicialmente se previa temporária pode agora “integrar o leque de medidas para reformar o Estado”, segundo o Diário Económico.

De acordo com as contas do Governo, estas duas novas taxas devem permitir uma poupança ao Estado de 150 milhões de euros em 2013.

Fonte: Diário Económico. 

tesouranota

partilhar

Deixar uma resposta