2013 – Danos diretos dos incêndios ascendem a 34,2 milhões de euros

O INE publicou hoje os dados, referentes ao ano passado, dos Incêndios de Grande Dimensão e Gravidade registando danos diretos que ascendem a 34,2 milhões de euros (0,02% do PIB):

De acordo com os valores declarados pelos Municípios atingidos, estima-se que os danos diretos dos cinco grandes incêndios (Caramulo, Picões, Trancoso, Mondim de Basto e Covilhã) em 2013, tenham atingido 34,2 milhões de euros (0,02% do PIB), valor correspondente a uma área ardida de 27 918 ha (0,30% do território).
No incêndio do Caramulo apuraram-se perdas de 13,9 milhões de euros (40,6% do total) seguindo-se o incêndio de Picões com danos da ordem dos 10 milhões de euros, valor próximo dos danos estimados para o conjunto dos outros três grandes incêndios (Trancoso, Mondim de Basto e Covilhã).
No incêndio do Caramulo os danos incidiram sobretudo na perda de potencial florestal (88,8% dos danos reportados para este incêndio), sendo Tondela o município mais afetado.
No incêndio de Picões, os danos no potencial agrícola totalizaram 3,8 milhões de euros (37,9% do total de danos reportados neste incêndio), tendo incidido sobretudo no município do Mogadouro.
No conjunto dos três outros incêndios (Trancoso, Mondim de Basto e Covilhã), os danos em infraestruturas foram estimados em 1,5 milhões de euros. Em Trancoso e na Covilhã os principais danos registaram-se ao nível do potencial agrícola, enquanto em Mondim de Basto, os impactos incidiram principalmente no potencial florestal.

Mais informações: Aqui.

incêndios

partilhar

Deixar uma resposta