Tipologia socioeconómica das áreas metropolitanas de Lisboa e Porto

O INE publicou hoje dados referentes à tipologia socioeconómica das áreas metropolitanas de Lisboa e Porto registando que aumentou a (sub)urbanização qualificada nas duas principais áreas metropolitanas do país em 2011.

Resumo 
A tipologia socioeconómica das áreas metropolitanas de Lisboa e Porto de 2011 subdivide o território em seis classes socioeconómicas – urbano consolidado, (sub)urbano novo qualificado, (sub)urbano não qualificado, espaços integrados de menor densidade, espaços autocentrados de menor densidade e espaços de imigração –, revelando um território heterógeno e fragmentado tendo em conta as características do parque habitacional e da população residente. A análise conjunta das duas áreas metropolitanas permitiu evidenciar padrões territoriais comuns e identificar características diferenciadoras. A classe socioeconómica referente aos espaços de imigração é mais caracterizadora da AML enquanto os espaços autocentrados de menor densidade caracterizam especialmente a AMP.
Entre 2001 e 2011, o diagnóstico dos processos de transformação socioeconómica dos territórios evidencia a expansão da (sub)urbanização qualificada e o recuo da (sub)urbanização não qualificada em ambas as áreas metropolitanas. A dinâmica associada aos espaços de imigração refletiu-se num aumento do número de unidades territoriais classificadas nesta classe apenas na AML.

Mais informações: Aqui.

áreas metropolitanas

 

partilhar

Deixar uma resposta