15 dicas para poupar no Natal

O Natal é uma época do ano importante no mundo ocidental,nomeadamente por ser um momento de reuniões com os mais próximos. O que é menos fácil é dividir o orçamento por tantos gastos extra, sendo que, no caso de quem recebe subsídios de Natal, parte dele deve estar destinado a objectivos financeiros maiores, seja para o fundo de maneio familiar, para amortizar créditos ou poupar para estudos ou férias.

Hoje deixamos-lhe algumas estratégias para aproveitar o Natal, ser mais feliz e manter algum equilíbrio nas finanças. Siga estas dicas!    

Faça o máximo de compras em conjunto: se tiver de sair de carro e pagar muitos euros de parque de estacionamento e gasolina, já para não falar do cansaço que compras massivas provocam, vai-se toda a poupança que consegue fazer com os descontos de Natal. Tente concentrar as compras em duas vezes e agregara maioria das coisas. Quanto mais longe da data puder ir, mais pode fugir às intermináveis filas de trânsito e pagamento, o esgotar dos presentes que escolheu e… a paciência! 

O orçamento é lei: como em muita coisa na vida – pelo menos nestas coisas mais pragmáticas – a organização é a alma do negócio. Depois de termos passado por uma crise tão grande, é positivo integrar alguns ensinamentos. Tente restringir um pouco o espírito consumista e pensar que não faz sentido endividar-se ou dar presentes a toda e qualquer pessoa, mais ou menos próxima.Combine com amigos e familiares um intervalo de dinheiro ou um tecto para os presentes, até para todos despenderem sensivelmente a mesma quantia. Não receie fazer escolhas e parta para o seu orçamento já com uma ideia do que é essencial:pense na ceia e no almoço de natal, presentes indispensáveis, decoração e até jantares de natal com amigos e colegas de trabalho.

Use os comparadores de preço: Não negue à partida comparadores que não conhece. Fora de brincadeiras, os muitos comparadores disponíveis online podem ajudá-lo a poupar quando tiver a sua lista fechada. Em alguns pode até colocar o link do produto que escolheu. Pode seguir o da defesa do consumidor, Deco, ou o Komparaki, por exemplo.  

Atenção a descontos e saldos: quanto mais se antecipar, mais pode ganhar. É claro que se puder nos saldos de verão já pensar no Natal, melhor ainda para efeitos de compras online e não só. Mas se não conseguir (sim, não somo ssuper-homens!), olhe para a lista que fez agora e não esqueça as grandes promoçõe sque começam no fim de Novembro – como é o caso de brinquedos com 50% de desconto nos supermercados. Se tem cartões de grandes superfícies, analise bem os cupões de desconto e quais os que precisa realmente. Compre em locais que têm bons descontos todo o ano, como as lojas Outlet perto das grandes cidades ou aproveite os leilões ou grandes descontos online de sites como o Ebay, Asos ou LanidorOutlet.  

Pague em dinheiro: esta é uma boa estratégia para os mais confusos. Para ser polícia de si próprio e não abusar das compras, tente pagar sempre com dinheiro, dentro do orçamento que estipulou. Fuja dos cartões de débito, a menos que tenha algum cartão que lhe permita poupar. O resultado é que fica sempre com mais clareza no que está a gastar.

Se usar cartão de crédito, escolha um com cashback: a solução cashback propõe que, se despender uma determinada quantia, pode receber de volta na conta uma percentagem simpática do valor que gastou em presentes. Portanto, se quer usar cartão de crédito, pense em escolher um que lhe dá vantagens. Há cartões que lhe permite mainda poupar dinheiro através de descontos em lojas parceiras, postos de abastecimento de combustíveis, milhas aéreas, entre outras vantagens. Também neste domínio existe informação e comparadores online: use-os.

Pense no dia de reis: embora não seja a nossa tradição é um costume dos nossos vizinhos espanhóis que, se conseguir implementar com a sua família ou amigos, pode levá-lo a poupar muitos euros. A partir de 26 de Dezembro entra tudo em grandes saldos e é uma oportunidade interessante. Dependerá das famílias e até da idade das pessoas em causa. Com crianças será mais difícil, mas para grupos de amigos é possível.   

O amigo secreto é o melhor amigo da sua carteira: esta é uma ideia interessante para ser usada em vários tipos de grupo e, pelo menos,entre os adultos da sua família. Reduz muito o consumo excessivo e anima os grupos. Ponha as crianças e adolescentes jovens de parte (se assim o entender, podem ter mais um ou dois presentes que os adultos) e aplique esta regra em casa,como forma de dar o exemplo para um consumo mais responsável – precisa de dar exemplos aos mais novos, não é verdade? Poupa e contribui para a economia e alívio de todos. Proponha um valor máximo para os presentes e se quer evitar desperdício ou desilusões, cada um pode fazer uma lista de desejos prévia.Assim o amigo secreto saberá sempre quais as aspirações e necessidades da outra pessoa. 

Presentes de grupo: Se o ‘amigo secreto’ não fizer sentido no seu contexto –outra hipótese para poupar, e dar presentes melhores do que poderia dar sozinho,é juntar várias pessoas. Só precisa de um pouco de organização e uns telefonemas ou e-mails.

Todos a cozinhar: para a refeição que decidir confecionar em sua casa para a família, ou mesmo para as casas de familiares ou amigos para onde for convidado, o mais equilibrado é partilhar as responsabilidades das refeições.Porque não combinar que alguém leva sobremesas e outra pessoa leva entradas ou bebidas? Poupará dinheiro e trabalho a todos e não quer dizer que não saiba receber. Já que o dono da casa tem obrigatoriamente mais despesa e tarefas que os restantes, é uma forma mais que justa de colaboração.

Decoração low-cost: a criatividade e a reciclagem estão na ordem do dia e devem ser o caminho para quase tudo. Podemos ser criativos e fazer decoração básica com materiais naturais apanhados na rua, como pinhas, azevinho ou galhos de pinheiro. Podemos encher taças coloridas com bolas de natal antigas ou decorar a casa com taças com fruta da época, frutos secos ou chocolates; reciclar papeis de embrulho e laços ou fazer os nossos próprios embrulhos com papéis baratos ou reciclagem de jornais.

Seja o autor: é a velha máxima do ‘do it yourself’ que, com a ajuda da tecnologia, hoje é cada vez mais fácil. Apresentações de fotografia ou vídeo,postais, cosméticos caseiros (há muitos tutoriais onde pode aprender afazê-los), impressões de fotografia, bijuteria, bolachas, compotas…cada um saberá aquilo para que tem mais apetência. Há muitas maneiras originais demostrarmos que nos lembrámos de alguém, dar uma oferta personalizada e não gastar demasiado dinheiro.

Aposte na economia local, de segunda-mão e nos pequenos produtores: se preferir comprar a produtores locais independentes, artesãos, artistas ou alfarrabistas, por exemplo, estará a estimular um consumo saudável. Para ser responsável socialmente, já que ajuda pequenos negócios, e ser também ecológico,pode também comprar em segunda mão (há cada vez mais mercados destes com qualidade), apostar nos mercados de troca directa e participar em acções solidárias. Poupa muito dinheiro, foge aos presentes das lojas clássicas, ajuda a sua comunidade e quem mais precisa e ajuda-se a si próprio, fugindo ao cansaço e às filas dos grandes centros comerciais. Às vezes pensa em ir ao sítio X que dá grandes descontos…mas os 3 euros que poupa não dão para a gasolina e o tempo que vai gastar. Porque não comprar na mercearia do seu bairro?

Ofereça experiências: oferecer ‘Cultura’, por via de bilhetes de espectáculos com descontos especiais nesta época, é sempre uma boa ideia. Interessante é também dar presentes impactantes, como fins-de-semana, experiências desportivas ou gastronómicas (nas empresas da especialidade, como a Odisseias,arranja pacotes ao preço de camisolas). Não gasta muito, defende valores culturais e proporciona boas memórias – o melhor presente para muitos. No âmbito cultural, falamos de assinaturas de teatros nacionais ou municipais por exemplo (que oferecem pacotes com vários tipos de espectáculos integrados) e até de festivais (há grandes descontos com esta antecedência, como é o caso do Sudoeste, a um terço do preço no Natal) ou de assinaturas de cinema em casa, dotipo Netflix.

Compre a ONG’s: no Natal há muitas ONG’s a apostar no merchandising. E quase toda a gente tem aquele presente simbólico para dar. Estará a ajudar se comprar lembranças como canecas, sacos ou t-shirts a instituições sociais, de saúde,culturais ou outras causas.

partilhar

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.