Como são negociadas as acções?

Uma empresa de capital fechado, tem as suas acções em poder de um número pequeno de sócios. Estas acções poderiam ser negociadas, mas se todos os modelos de acções fossem assim, teriamos que visitar as empresas, encontrar sócios dispostos a vender e transaccionar as acções e posteriormente fechar os negócios.

Alem disso essas operações são muito caras e normalmente envolvem grandes quantidades de acções.

Logo, por falta da lei da oferta e da procura, seria complicado arranjar acções a preços justos, teria portanto que se pagar o preço que o vendedor acha que as acções valem.

Por outro lado quem tivesse necessidade de realizar dinheiro na venda de acções teria grande dificuldade em fazê-lo. Isto porque teria que ir procurar compradores fisicamente.

Hoje em dia, é muito fácil transaccionar acções. Em qualquer computador é possível negociar acções. São portanto os mercados de acções.

Nos mercados de acções, a compra e venda de acções são tarefas muito faceis e baratas, por várias razões:

  1. Existe grande facilidade em encontrar compradores e vendedores para transaccionar as acções. Esta quantidade de compras e vendas tem o nome de liquidez.
  2. Um lote de 100 acções pode ser comprado por um comprador que precisa de 1000, para isso ele apenas precisa de comprar 10 lotes de 100 acções.
  3. Os interesses, conjuntura economica entre vários factores ajudam ao equilibrio de mercado e a que haja equilibrio entre a oferta e a procura.

Em todo o mundo existem centenas de mercados de acções, que negoceiam diariamente biliões de acções. Os mais importantes são o NYSE, NASDAQ, LSE e NIKKEI.

Em Portugal a CMVM é o orgão responsável pela regulação das actividades dos mercados de acções, entre outros.