Crash de 1987!

O ano de 1987 proporcionou a maior queda da história registada num só dia. O índice Dow perdeu 22,6% do seu valor, ou 500 Mil milhões de dolares no dia 19 de Outubro de 1987!

Os anos de 86 e 87 foram a extensão de um bull market (mercado em tendência de subida), que começou em 1982. Estas subidas foram sustentadas por OPA (Ofertas Públicas de Aquisição) , compras alavancadas e fusões (junção de empresas). As empresas lutavam para angariarem capital para adquirirem o poder necessário para comprarem as suas rivais. A filosofia da altura era que as empresas iriam crescer exponencialmente apenas por comprarem outras companhias. Nessas compras alavancadas (nos casos em que as empresas não tinham capital próprio), a angariação de capital era efectuada com base na emissão de “Junk Bonds” (Obrigações de Alto Risco), para o público em geral. Sendo as mesmas de alto risco, pagavam uma alta taxa de juro. Ao mesmo tempo as OPV (Ofertas Públicas de Venda) começavam também a ser comuns. Áreas como a dos Micro-computadores estavam no topo do crescimento. Era esperado que este tipo de empresa fornecesse produtos que iriam mudar a forma de viver, ferramentas como o PC (Computador Pessoal). Com estas perspectivas esperavam-se também novas formas de lucro. O investidor comum apanhado pela euforia contagiante, similar a qualquer outra bolha, achava que as acções apenas tinham um caminho, o caminho da subida. (mais…)

Ler mais

Bolha de 1929

Os anos 20 foram tempos de paz e grande prosperidade. Após a primeira guerra mundial, esta prosperidade foi alimentada por uma grande industrialização e novas tecnologias, como o rádio ou o automóvel. A aviação começava também ser uma realidade. A economia beneficiou muito de novas tecnologias que mudaram o dia a dia.

À medida  que o DJIA (Dow Jones Industrial Average) galopava, muitos investidores começaram a comprar acções. Estes activos eram vistos como activos seguros pela maioria dos economistas, devido à expansão da economia. Os investidores começaram a comprar acções em margem. Por cada dolar investido, um utilizador pedia emprestado 9 dolares de valor em acções. Logo se a acção subisse 1% o investidor irira receber 10% do capital realmente investido. Esta alavancagem também funciona no sentido contrário, se o activo gerasse perdas de 1% o investidor iria perder 10% do capital realmente investido. Loog se uma acção tivesse perdas avultadas, o investidor poderia perder todo o seu dinheiro e quem sabe ficar a dever ao seu corretor.

De 1921 a 1929, o Dow Jones passou de 60 para 400! Milionários foram criados quase instantâneamente. Rapidamente o mercado de acções passou a ser o passatempo preferido dos EUA. Invetidores hipotecaram as suas casas, e investiram poupanças de uma vida em acções muito arriscadas, como a FORD e a RCA. Para o investidor comum, acções eram rendimento certo. Poucas pessoas estudavam os fundamentais das empresas em que investiam. MIlhares de empresas fantasmas foram criadas, burlando assim investidores menos atentos. A maioria deles nem sonhava que um crash fosse possivel.  Para eles o mercado iria sempre subir. (mais…)

Ler mais