Consolidar créditos ou não consolidar créditos?

Com a crescente abertura dos bancos à concessão de crédito e com a manutenção das taxas de juro em níveis muito baixos tem surgido uma oferta crescente de consolidação de créditos. Neste artigo abordamos algumas características do crédito consolidado e alertamos para os perigos que pode comportar.

Juntar tudo numa única prestação

Ao consolidar os créditos o que está a fazer é juntar todos os seus créditos numa única entidade. Na prática, vai pedir dinheiro emprestado a um banco para pagar todos os créditos que tem nos restantes bancos. Goza assim de algumas vantagens:

  1. Facilidade de gestão das suas finanças pessoais, na medida em que tem apenas um crédito e uma prestação num único dia (evita pagar comissões por atrasos e talvez evite comissões de gestão desnecessárias);
  2. Redução da prestação, pela redução da taxa de juro e pelo aumento do prazo.

Perigos de consolidar créditos

Os críticos desta ferramenta financeira apontam-lhe uma grande fragilidade que curiosamente é também uma das suas grandes valias. A consolidação de créditos pode baixar as suas prestações para metade. E porque é que isto é uma fragilidade? Porque se não tiver cuidado vai ter aqui uma grande tentação para consumir mais. Ao ter mais dinheiro disponível e ao não estar preparado para esta nova folga financeira irá ter a tentação para se endividar mais. Fica com a sensação de que ficou instantaneamente rico.

O que fazer ao dinheiro que vai poupar?

Para contornar o perigo acima referido podemos optar por duas estratégias que se podem complementar:

  • Reduzir o prazo – Ao invés de optar pela redução da prestação pode optar por reduzir o prazo de liquidação dos seus créditos. Assim, em vez de poupar euros está a poupar anos (o que vai dar ao mesmo, mas psicologicamente pode fazer a diferença);
  • Constitua uma poupança – Use parte da diferença de prestações para investir o seu dinheiro. Constituía um produto de poupança ou de investimento e vá reforçando o seu investimento todos os meses. Tem o inconveniente de estar a ter um retorno inferior à taxa de juro do crédito mas tem a vantagem de estar a criar hábitos de poupança.

Consolidar créditos pessoais é uma ferramenta financeira que está ao alcance da maioria das pessoas. Pode fazer muito bem às suas finanças pessoais mas se mal usado pode ainda agravar mais os seus encargos financeiros. Assim, é fundamental que procure informação e aconselhamento.

partilhar

Deixar uma resposta